Tudo junto e misturado

domingo, 28 de outubro de 2012

Jornalismo vagabundo, num jornal vagabundo

Aos 44 do segundo tempo, jornalista e jornal tentam salvar candidatura natimorta do vampiro.
Notem que no corpo da matéria ele desmente o título mostrando que o que se eleito, ele vai fazer, é cumprir a lei. Haja saco pra tanta canalhice.

28/10/2012-04h40

Haddad planeja, se eleito, fazer reajuste do IPTU em 2013

Na FALHA

EVANDRO SPINELLI
DE SÃO PAULO

Fernando Haddad (PT), se eleito hoje, prevê fazer reajuste do IPTU em 2013, cumprindo uma lei aprovada na Câmara em 2009.
Questionado pela Folha, o candidato confirmou, por meio de sua assessoria, que pretende cumprir a lei municipal, que prevê a revisão a cada dois anos da planta genérica de valores, base para o cálculo do IPTU.
O mesmo questionamento foi feito a José Serra (PSDB), que informou que não fará a revisão em 2013 nem em 2015, caso seja escolhido prefeito.
O IPTU é cobrado a partir do valor de mercado do imóvel apontado pela planta genérica, que calcula o valor de mercado em cada face de quadra da cidade. Assim, é possível estimar o valor venal de todos os 2,8 milhões de imóveis paulistanos.
Locais que tiveram grande valorização de mercado --bairros que receberam novas estações de metrô ou shoppings ou avenidas, por exemplo-- teriam maior aumento do imposto.
Por outro lado, em regiões que sofreram algum tipo de degradação e o valor de mercado do imóvel caiu, os contribuintes pagariam menos.
Caso seja aprovada, a mudança será aplicada no imposto a ser cobrado em 2014.
"Atualizar a planta genérica é uma questão de justiça tributária e de viabilizar as finanças do município. O município está se omitindo se deixa de revisar a planta genérica", disse Valdemir Pires, professor de finanças públicas da Unesp de Araraquara.
Para ele, o ideal é que a planta genérica seja atualizada todos os anos, para evitar que os imóveis tenham grande valorização sem que seus proprietários paguem o imposto devido por isso.
Pires diz que cobrar imposto sobre o patrimônio, caso do IPTU, "afeta muitos interesses e não é interessante eleitoralmente". Por isso, afirma, políticos costumam evitar esse tipo de desgaste.
Quando a revisão demora a ser feita, acontece como em 2009 --primeiro ano do segundo mandato do prefeito Gilberto Kassab (PSD)--, quando houve casos de aumento do IPTU em mais de 300%. A revisão anterior havia sido feita em 2001, Na gestão Marta Suplicy (PT).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

José Serra, os porquinhos e a matemática.

Esses videos mostram como se faz necessário a saída do sapo barbudo analfabeto e ignorante, para a entrada de alguém culto e versado em todos os assuntos.

Arquivo do blog

Contador de visita

Não é novela mas se quiser seguir fique a vontade