Tudo junto e misturado

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Ministro da reforma agrária ataca proposta de extinção da pasta

Do blog da Christina Lemos

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, um dos mais longevos na equipe do presidente Lula, reage à proposta da oposição de acabar com o ministério do Desenvolvimento Agrário. Para Cassel, este será um retrocesso grave. “Não tem nenhum cabimento. Mas tem lógica!”, afirma. “Isso faz parte de uma política antiga que reconhecia a agricultura brasileira como a partir de um só setor, o dos grandes proprietários, das grandes transnacionais. Há dez anos só existia uma voz, era a deles”, completa.

Para Cassel, o governo Lula promoveu a inclusão dos agricultores familiares, a partir da atuação de seu ministério: “nós aprendemos que tem mais gente no campo. Tem uma agricultura familiar moderna, potente, que nunca foi olhada. Ela produz 70% de tudo aquilo que a gente consome no dia a dia”.

A idéia de concentrar tudo na pasta da Agricultura, para Cassel, não contempla mais a realidade. “Esse pessoal não cabe todo no ministério da Agricultura porque são lógicas diferentes”, declara. Para explicar seu raciocínio, o ministro lança mão de um verso do compositor Paulinho da Viola, que diz: “as coisas estão no mundo, só que eu preciso aprender”. E esclarece: “é justamente isso. O que o mundo tem nos mostrado é que a agricultura patronal, a de escala, tem crescido muito, batido recordes. E que a agricultura familiar também tem crescido, e hoje é um exemplo para nós todos. Portanto as coisas estão no mundo, estão funcionando e bem. Por que vamos acabar com elas? Por conta de disputa política, de ideologia pobre? Não vale!”

Para o ministro, ao deixar o governo em dezembro deste ano, o presidente Lula terá, no que diz respeito ao desenvolvimento agrário, dois importantes legados a contabilizar. “O primeiro deles é que quase 600 mil famílias tiveram acesso à terra” – calcula Cassel. “E o segundo é que Lula vai poder também afirmar: “eu “resignifiquei” a agricultura familiar’, isto é, mudei o significado e a importância, garanti a produtividade da agricultura familiar”, completa o ministro.


Pinçado de:
http://noticias.r7.com/blogs/christina-lemos/2010/05/06/ministro-da-reforma-agraria-ataca-proposta-de-extincao-da-pasta/

Um comentário:

  1. Sandro

    Bo tarde

    Só mesmo de uma oposição controlada por pessoas atrasadas e reacionárias, poderia vir uma idéia dessas.

    Grande abraço

    ResponderExcluir

José Serra, os porquinhos e a matemática.

Esses videos mostram como se faz necessário a saída do sapo barbudo analfabeto e ignorante, para a entrada de alguém culto e versado em todos os assuntos.

Arquivo do blog

Contador de visita

Não é novela mas se quiser seguir fique a vontade