Tudo junto e misturado

domingo, 21 de março de 2010

Mercedes-Benz faz testes com diesel de cana-de-açúcar

Do Brasil econômico
A experiência com o novo combustível revela queda de 9% na produção de material particulado e não foi detectado óxido de nitrogênio, como nos biocombustíveis.


As ruas estão cada vez mais estreitas com a quantidade de carros, ônibus e caminhões que são introduzidos, diariamente, na frota brasileira. Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), rodam hoje no país cerca de 60 milhões de veículos.

Diante desse cenário, as montadoras - vistas por ambientalistas como grandes vilãs - têm tentado fazer a sua lição de casa para reduzir a emissão de gases poluentes.

A Mercedes-Benz do Brasil, em parceria com a Amyris Brasil, subsidiária da Amyris Biotechnologies, está desenvolvendo um combustível ecologicamente correto: óleo diesel à base de cana-de-açúcar.

A primeira fase dos testes está sendo feita com uma mistura de 90% de diesel comercial S50 - que tem 50 partes de enxofre por milhão (ppm) - e 10% de diesel de cana.

Segundo Gilberto Leal, gerente de desenvolvimento de motores da montadora, a experiência revelou uma redução de 9% na emissão de material particulado - um tipo de poluente primário que contribui para a poluição do ar.

"Outro ponto positivo é que, diferentemente do que ocorre com os biocombustíveis, não foi produzido óxido de nitrogênio (NOx) a mais", afirma. O óxido de nitrogênio é um gás tóxico para as vias aéreas.

Leal adianta que, no próximo mês, começam a rodar os primeiros ônibus movidos por esse novo combustível, na cidade de São Paulo. "Vamos colocá-los nas linhas mais críticas, onde o fluxo de passageiros é maior."

Terminada esta fase, inicia-se a seguinte: aumentar a participação do diesel de cana na mistura. "Nossa intenção é conseguir produzir um combustível que seja 100% de diesel de cana", revela.

Além disso, o especialista diz que o objetivo é que o preço do diesel de cana seja igual ou até menor do que o diesel comercializado hoje no país. "Nossa intenção é que até 2012 o combustível esteja disponível para uso do consumidor, nos postos de gasolina."

Motor

Outra vantagem do diesel de cana-de-açúcar é que ele pode abastecer os ônibus que circulam hoje no Brasil. "A frota brasileira é muito antiga. Seria um contrasenso fazer um combustível que exigisse um outro tipo de motor.

Por isso, não vamos mudar os motores existentes." Leal acrescenta que o desempenho do motor não muda com o novo diesel, fato que exigiria um volume maior de combustível. "O consumo continua reduzido."

Com essas medidas, a Mercedes-Benz está se preparando para atender ao Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículo Automotores (Proconve) P7, uma rigorosa norma de controle de emissões do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que entrará em vigor no Brasil em 2012.

"Nossos motores oferecerão um consumo de combustível ainda menor, diminuindo o custo operacional e garantindo a rentabilidade para os clientes. Nosso combustível se baseia na sustentabilidade", afirma Leal.

De acordo com o especialista, a empresa realizou mais de 20 mil horas de testes de funcionalidade e durabilidade, em bancos de prova e nos veículos em operação.

São mais de 1,5 milhão de quilômetros com caminhões e ônibus, em situações extremas de operação nas cidades, rodovias e fora de estrada.

A MAN Latin America também está desenvolvendo pesquisa só que com etanol hidratado. Mas, segundo a assessoria, ainda não foram iniciados os testes nas ruas com caminhões movidos a etanol.


Pinçado de:
http://www.brasileconomico.com.br/noticias/mercedesbenz-faz-testes-com-diesel-de-canadeacucar_79090.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

José Serra, os porquinhos e a matemática.

Esses videos mostram como se faz necessário a saída do sapo barbudo analfabeto e ignorante, para a entrada de alguém culto e versado em todos os assuntos.

Arquivo do blog

Contador de visita

Não é novela mas se quiser seguir fique a vontade