Tudo junto e misturado

quarta-feira, 17 de março de 2010

Reservo-me o direito

Reservo-me o direito de morrer amanhã
Sem questionar o que me tenham negado
Sem querer de volta o que tenha dado
Sem arrependimento profundo e latente
Por brigar por nada com tanta gente
Sem me arrepender de tudo que fiz
Na insana busca por ser feliz
Sem desejar que tivesse ido antes
Para conviver menos com intolerantes
Sem nunca ter deitado em divãs
Sem sequer lembrar o gosto das maçãs
Acima de tudo orgulhoso e satisfeito
Muito embora sequer saiba, se vivi direito.


Escrito por Sandro Stahl

Nenhum comentário:

Postar um comentário

José Serra, os porquinhos e a matemática.

Esses videos mostram como se faz necessário a saída do sapo barbudo analfabeto e ignorante, para a entrada de alguém culto e versado em todos os assuntos.

Arquivo do blog

Contador de visita

Não é novela mas se quiser seguir fique a vontade