Tudo junto e misturado

domingo, 28 de fevereiro de 2010

O povo tem o direito de querer


Nós seres humanos tendemos fazer verdadeiras ginásticas para defender o que acreditamos ser a verdade e isso talvez não percebamos se for algo sutil.
Mas existem pessoas que defendem determinadas teses onde me parece incrível que não percebam o quão grande é a ginástica que fazem para colocar as coisas a seu gosto.

Você já deve ter visto muita gente que devido as informações que recebem, usam dos mais variados argumentos para defender que Hugo Chavez é um ditador, e isso me coloca a defender o contrário, o que acaba fazendo me parecer um fã de Hugo Chavez, o que não é o caso.

Várias vezes vi alguém lançar mão de Hitler para tentar explicar um ditador democraticamente eleito.
Uma frase que costumo dizer é que existem pessoas que apostam na estupidez alheia e outras que acreditam em que faz tal aposta. Quem diz isso está de um lado ou do outro. Em que livro de história aprenderam que Hitler foi eleito democraticamente?

O regime democrático alemão acabou quando ao conseguir maioria o partida nazista expulsou os comunistas e calou os de centro, entregando a Hitler o poder ditatorial, portanto Hitler nunca foi eleito democraticamente como afirmam os que querem, com uma comparação ridícula, mostrar que Chavez é um ditador perigoso.

Não gosto da falta de alternância no poder, se não de partido, ao menos de pessoas acredito ser necessário essa alternância, para manter vivo o espírito da democracia, pois uma pessoa perpetuada no poder corre o risco de se sentir mais realista que o rei, mas não cabe a mim dizer que um povo que escolhe democraticamente o mesmo governante várias vezes, não tem esse direito.

Entendo que acusem Chavez de muitas coisas, menos de ser um ditador, pois quando o acusam de fechar um canal de TV, esquecem de ver que em momento algum ele desrespeitou as leis da Venezuela, e olha que o canal em questão ajudou no golpe contra Chavez, mesmo assim ele esperou vencer o prazo de concessão para não renová-la, e não estava escrito na constituição que ele seria obrigado renovar a concessão, portanto agiu dentro da lei, o mesmo se deu com todas as emissoras de rádio, se é moralmente certo ou errado, não sei e nem é esse o objetivo desse post.

Acusam-no de mudar a constituição para se eternizar no poder, mas essas mudanças se deram através de um plebiscito onde o povo decidiu que ele pudesse se candidatar indefinidamente, e se decidiu por isso foi em função de que os que governaram antes dele deixaram a desejar e ele foi muito melhor que eles, e para que possa continuar no poder ele terá que ser aprovado em cada período em eleições livres e democráticas, portanto quando ele não atender mais a vontade do povo esse o tirará do poder, é assim que funciona.

Foi exatamente isso que aconteceu no Brasil, Fernando Henrique se reelegeu prometendo algo que não cumpriu, não conseguiu eleger seu sucessor e terminou seu mandato com índices de reprovação enormes. Lula fez um ótimo mandato, tem índices de aprovação invejáveis, FHC que o diga, e irá eleger seu sucessor, assim é que as coisas funcionam numa democracia e é assim que funciona na Venezuela. Bom ou ruim, enquanto o povo venezuelano decidir que quer Chavez, que tenha Chavez.


Escrito por Sandro Stahl

Nenhum comentário:

Postar um comentário

José Serra, os porquinhos e a matemática.

Esses videos mostram como se faz necessário a saída do sapo barbudo analfabeto e ignorante, para a entrada de alguém culto e versado em todos os assuntos.

Arquivo do blog

Contador de visita

Não é novela mas se quiser seguir fique a vontade